22 de julho de 2015
  •  
  •  

Rodar nas Estradas da Palavra

Gostaria de compartilhar com vocês uma experiência que aconteceu comigo e um grupo de irmãos de nosso moto clube logo no inicio do ministério.

Um dia fomos convidados por um amigo para visitar a igreja dele é falarmos sobre o ministério de evangelização aos motociclistas, esta visita seria em uma cidade que fica a mais ou menos 80 km da cidade do Rio de janeiro uma cidade tranquila é pacata. Esta seria uma grande oportunidade de falarmos sobre a evangelização em grupos especiais, uma grande novidade naquela época, O nosso clube por ser um pioneiro nesta forma de evangelização tinha que aproveitar todos as chances oferecidas.

Nesta época as igrejas estavam curiosas sobre esta novidade no reino de Deus, lideres desejosos em saber o que seria este tipo de trabalho. Quando o meu amigo fez o convite ficamos alegres, logo falei para ele conversar com o seu pastor sobre o nosso trabalho, a proposta foi logo aceita pelo pastor da igreja e tratamos todos os detalhes, somente os dois irmãos estariam sabendo de nossa visita, a igreja não saberia… seria uma forma de surpresa para eles.

O meu amigo sempre falou que a igreja dele estava aberta a novas formas de evangelização fique, sendo assim seria uma oportunidade de apresentarmos o Leão de Judá moto clube uma oportunidade de impactar a igreja. Durante o os dias que antecederam a nossa visita procuramos acertar os detalhes de atuação de cada irmão que estaria participando como palestrantes nas escola Dominical. Procuramos preparar as nossas maquinas, nossas roupas e nosso material de evangelização que sempre utilizamos para todas as pessoas tivessem a condição de conhecer a nossa forma de atuar nos eventos.

Os dias foram se passando para que estivéssemos visitando aquela igreja, esta oportunidade seria a primeira que teríamos para sentir como uma igreja estaria reagindo com a presença de irmãos que estariam usando casacos de couro, botas, coletes, bandanas e muitas correntes… certamente o impacto seria incrível.

O dia finalmente chegou, estávamos ansiosos e procuramos marcar a nossa saída no horário das 7 horas da manhã para que não tivéssemos atraso em nosso primeiro compromisso com a igreja. Procuramos sair em direção da cidade rumo à igreja que ficava a 80 km de pista no meio do inverno; a cidade era bem ao pé da serra de uma cidade serrana, depois de 1 hora chegamos ao portal da cidade logo à frente paramos para pedir uma informação sobre onde era o local que ficava a igreja; um rapaz que estava em um ponto de ônibus foi bastante solicito e nos deu a informação exata de como chegarmos à igreja, perguntei a ele para onde ele estaria indo é ele falou que estava indo para perto da igreja, oferecemos uma carona para ele, pegamos um capacete reserva e ele subiu na garupa e fomos para a igreja, ao chegarmos à igreja com todo o estilo, usando nossas sirenes e buzinas os irmãos que estavam chegando à igreja para participar da escola bíblica dominical ficaram apavorados com um ar de espantados, paramos na frente da igreja e tudo começou…

Os irmãos foram receber o rapaz que demos carona simplesmente por que ele estava usando um casaco tipo blazer e levava um livro preto todos estavam pensando que era uma Bíblia, para supressa dos irmãos da igreja o rapaz agradeceu a recepção mais disse para as pessoas que ele não era pastor nem muito menos um crente, só vim aqui para trazer os irmãos das motocicletas que me deram carona, o que foi uma surpresa para todos os crentes da igreja.

A coisa não parou por aí, alguém da igreja pensou rápido é logo ligou para o ministério “190”, entendo que eles ficaram sem entender vendo homens e mulheres com caras de bandidos, barbudos e cheios de tatuagens. Imagine você sendo recebido na casa de Deus pela policia militar como se fosse um criminoso.

Por incrível que pareça o meu amigo que sabia da visita não havia chegado à igreja e o pastor que era a outra pessoa que sabia de nossa visita, tinha saído para ajudar um membro da igreja que tinha sofrido um acidente naquela manhã, incrível tudo parecia que daria errado para todos nós do Leão de Judá moto clube.

Quando todos estavam querendo saber quem éramos o irmão que nos convidou chegou e verdadeiramente nos salvou de toda aquela situação. Apresentamos os nossos objetivos para estar na igreja naquele dia e cada dupla foi para uma classe da escola Bíblica para compartilhar um pouco de nosso ministério com cada um dos irmãos, a mim ficou a tarefa de falar aos diáconos e direção da igreja que estava reunida em uma classe especial (“bem especial”) nesta classe passei por uma verdadeira santa inquisição onde de tudo me foi perguntado, mais graças a Deus tudo chegou a um bom termo.

Ao termino da escola bíblia fomos para o templo onde graças a Deus o pastor já havia chegado e teve a oportunidade de fazer a apresentação do grupo e me passar a palavra para falarmos sobre a abertura do dia de missões nacionais, ao final do culto um senhor que estava na minha classe disse:

– Tenho 86 anos de idade e neste dia tive a oportunidade de aprender na casa de Deus que eu era cheio de pré-conceitos, me achava uma pessoa correta é justa é aprendi neste dia que jamais devo julgar as pessoas.

Ele declarou em alto é bom som diante da igreja, colocando uma bandana do Leão de Judá na cabeça o seguinte versículo: de Lucas 6:37 “Não julgueis para que não sejas julgado, não condeneis e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados” e assim começamos as nossas visitas nas igrejas pregando, ensinando as igrejas é levando o evangelho aos irmãos de duas e três rodas.

Deixe seu Comentário